sábado, 8 de dezembro de 2012

O INÍCIO, O FIM E O MEIO...



A vida é repleta de escolhas e caminhos, em que as pessoas passam por constantes mutações para que, a cada dia, possam se tornar melhores. Ninguém passa por essa vida sem completar algum ciclo, sem conhecer pessoas e enfrentar obstáculos. Hoje me deparo com mais uma mudança, agora é tempo de crescer, não de esquecer meu lado criança, mas de participar de brincadeiras de gente grande.
Após cinco anos intensos, terminei a minha faculdade de Direito. Não posso afirmar que foram os melhores cinco anos da minha vida, mas acho que foram os mais importantes e os mais marcantes. Aprendi a beber e também a parar de beber, mudei muito nos últimos anos, até mais que pessoas que levam a vida inteira para isso, aprendi muita coisa e várias lições de vida, conheci pessoas que não significaram quase nada, mas, em compensação, encontrei várias outras que souberam deixar as suas marcas. Sorri, chorei, sofri e, principalmente, fui muito feliz.
Quem diria que em meio a todas as Leis eu seria capaz de desafiar todas as regras e encontrar um amor. CARLOS ALBERTO... Foi por meio de um jogo de criança que construímos uma brincadeira de gente séria, e só de pensar que a gente nem se suportava no início dessa jornada. Amor foi com você que eu percebi o outro ângulo da narrativa, passei a desejar novos horizontes e senti algo que jamais havia sentido.
 Amor, você foi fundamental para que as aulas monótonas ficassem um pouco mais apimentadas kkkk, as suas ligações matinais para me acordar (isso quando eu não acordava e você vinha me buscar) e a nossa história que começou com um comentário no estacionamento da faculdade. Juntos terminamos mais uma etapa que marca o início de outra nova história.
                Iniciando o segundo ano de faculdade, ao chegar à aula me deparei com uma loira que possui uma comissão de frente de resPEITO. KAROL... Foram tantos os momentos que passamos juntas, tantas aulas matadas nas escadas da faculdade e tantos os assuntos compartilhados que sentirei saudades diárias disso.
            Aquela frase que afirma que nos pequenos frascos estão os melhores perfumes pode ser confirmada na LYA RAQUEL... Chega a ser impressionante como em um ser tão pequeno pode caber um turbilhão de sentimentos. Com a sua linguagem mais que informal e suas gírias, que na maioria das vezes eu não entendia, ela fez com que as minhas manhãs ganhassem graça. Era muito bom acordar com as suas mensagens de bom dia e perguntando se eu iria à aula.
MENINAS... Com vocês compartilhei os meus melhores momentos, dividimos vários Bubbaloos e balas Toffe, comemos pão de queijo que não tinha queijo, compartilhamos risadas, choros, brigas e caras feias. Matamos aula para ver vitrines ou sentar em algum bar, fizemos loucuras, estudamos que nem condenadas e fomos felizes. Ou seja, crescemos juntas nesse período.
Ainda bem que as primeiras impressões não são as que ficam. Depois de um pouco mais de dois anos estudando juntos e, sem ao menos ter falado um oi, conheci três figuras que fazem do meu cotidiano um turbilhão de emoções. DHIEGO, BAETA (PORQUE EU NUNCA VOU TE CHAMAR DE EDUARDO KKK) E ANDREY... São três pessoas completamente diferentes, cada um com seu jeito, com a sua história e a maneira como entraram na minha vida por um elo em comum. Foram vários assuntos sem utilidade alguma, diversas as vezes que saímos para ficar de bobeira, os comentários criativos que foram compartilhados e a forma como deixaram que eu fizesse parte da vida de vocês. Definitivamente, eu conheci três pessoas que eu já conhecia e hoje sou muito grata por tê-los conhecido de verdade.
Toda faculdade tem a sua turma que é a da bagunça e eu também já fiz parte dela. MARCELLO TEODORO, MARCELO CÁSSIO, RAPHAEL, JHEANDER E ELOY... Nunca conheci pessoas tão de bem com a vida como vocês. Foram tantas as reuniões, os almoços na casa do Teodoro, os trabalhos de interdisciplinar em que nós quase nos matamos e as provas que nem nos preocupamos em estudar. Foi uma época muito boa, os meninos que não tem como esquecer. Aqueles meninos sabe, aquela turma lá do fundão, aquela... Não está lembrando não? É porque eles quase nunca comparecem as aulas, está explicado! Kkkk.
Existem duas pessoas que não são muito próximas de mim, mas o contato que tivemos foi suficiente para eu tivesse um carinho especial por elas. ROBSON E VANESSA... Foram diversas as vezes que vocês me perguntaram se eu tinha algum problema (quando eu chagava com aquela cara maravilhosa na faculdade) e, em duas situações específicas, vocês me viram chorando e me estenderam um ombro amigo. Mesmo eu sendo complicada, vocês relevaram o meu péssimo humor matinal, kkk, e cuidaram de mim, seja pelos trabalhos compartilhados, por defenderem sempre os interesses da turma ou por simples gestos de afeto e educação. Muito obrigada mesmo.
Existe uma pessoa que eu só pude conhecer no meu último período de faculdade, um grande professor. GABRIEL... Em seu primeiro dia de aula você entrou na sala na hora do intervalo, foi para o fundo da sala, sentou e começou a conversar comigo e com o Carlos e só quando deu o horário da aula que você contou que seria o nosso professor. Ainda bem que a minha boca grande não falou nada demais kkkk.
Um professor que já tinha mostrado uma grande eficiência, pois conseguiu ultrapassar todas as barreiras que os programas das aulas exigiam. Mas, além disso, é um cara com um grande caráter, que socorreu a mim e quase todo mundo que eu mencionei nesse texto no momento final do curso. Mesmo com todos os seus problemas, sempre encontrou tempo para responder nossos e-mails e as nossas ligações desesperadas, nos ajudando a resolver nossos problemas pessoais e sendo uma peça fundamental para que nós pudéssemos concluir essa jornada. Professor, não tenho palavras para agradecer por tudo o que fez por mim, por nós em tão pouco tempo de convivência.
Foram cinco anos que, analisados atualmente, passaram muito rápido. Teve gente com quem eu fiz uma grande amizade, mas que abandonaram o curso e deixaram grandes lembranças e constantes saudades. Teve gente que se afastou, amizades que foram construídas e uma amizade inventada que faz parte desse diploma que carregaremos, um tal de DIVINO. Teve gente... Teve muita gente, mas alguns são especiais, são únicos. Vocês foram fundamentais e essenciais para que a jornada estivesse completa, para que a jornada fizesse graça e, principalmente, para que tivesse sentido.
Gente, obrigada por tudo!

Mariana Tannous Dias Batista

Nenhum comentário: