sábado, 3 de abril de 2010

SEXTA-FEIRA SANTA

O2 DE ABRIL DE 2010 OU SEXTA-FEIRA SANTA?


Qual a diferença entre mencionar a data 02 de abril de 2010 ou Sexta-feira Santa? Simplesmente o impacto da denominação, pois ambas as datas representam o mesmo dia, ou seja, o mesmo sentido, uma redundância.

Mesmo com toda a modernidade e tecnologia que regem a vida das pessoas em sociedade, algumas tradições impostas culturalmente ainda prevalecem, como a de não comer carne em tal dia como sinal de respeito a Jesus pela crucificação e sofrimento que marcaram a sua morte. Mas o que me revolta é que se perguntar a maior parte da população o que fora celebrado no dia, sem mencionar o nome bíblico, apenas como um dia qualquer do ano, vários indivíduos não saberiam falar o que aconteceu, então qual seria o real sentido de tudo isso, de as pessoas mostrarem-se tão cristãs nessa data se precisam de uma denominação religiosa para lembrar o que comemoram?

O que antes era sinônimo de respeito, de penitência e até mesmo a quaresma perderam o sentido original e receberam outros bastante ramificados dentro de um sistema capitalista. A melhoria na economia com a venda de chocolates, a troca de ovos de páscoa, o feriado prolongado nas faculdades e escolas, as festas e a tal visita do coelho de páscoa são exemplos de significados que a data santa é utilizada na atualidade.

Sim, acho que passar um dia sem comer carne vermelha e sem fazer uso de bebidas alcoólicas como sinal de respeito a uma determinada religião, lógico que para os praticantes e para aqueles que acreditam nessa, nunca matou ninguém. Porém é meio contraditório ser uma pessoa cristã apenas vinte e quatro horas e durante todos os outros dias do ano as pessoas serem ambiciosas, cometerem suas avarezas e sentirem inveja do sucesso alheio e realizar as mais diversas e absurdas ações em busca de capital e poder.

Ao analisar por todos os lados da questão, acho que as comemorações religiosas são fundamentais, pois fazem parte da cultura de um povo constituindo suas crenças e história. Mas, na atualidade, com a mudança de postura da civilização, não se pode obrigar que tais tradições sejam respeitadas em sua totalidade. Portanto, as pessoas deveriam agir não como cristãs o ano inteiro, mas como pessoas que têm um coração, que pensam no próximo como gente e não como apenas mais um entre milhões, deveriam ser uma massa pensante que questiona por seus direitos e luta para que esses sejam exercidos, mas que ainda sentem algo dentro do peito acima de tudo.

(Mariana Tannous Dias Batista)

3 comentários:

Karolina disse...

ameiiiiii a cronica mari!!!!

Nilson Barcelli disse...

A gatinha da foto até me fez esquecer o seu post...
Como sou agnóstico, vejo essas coisas a uma certa distância.
Respeito a fé e a convicção de cada um, mas hipocrisia não. Ou seja, no fundo concordo como que a Mariana diz neste texto.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Boka disse...

Mariana,

Muito bom o texto mais como sabemos isso não acontece somente na semana santa, temos ainda, Dia das Mães não que elas não mereçam mais criar uma data para celebrá-las não me parece mais do que uma jogada capitalista. Como dizia vovó....dia das mães é todo dia!
Dentro as datas festivas ainda têm o dia dos Pais, Namorados e o Natal esta ultima sendo a campeã em vendas no ano inteiro...Infelizmente é assim... e assim vai continuar por muitas e muitas gerações.


Abrass