quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

SALDO DE 2010

O que falar a respeito desse ano que em alguns dias terminará? Durante os 365 dias que logo completarão o ciclo, alguns foram caracterizados por muito choro, porém minhas lágrimas derramadas foram transformadas em boas gargalhadas por aqueles que convivem comigo. Conheci pessoas que já conhecia e outras que tive o enorme prazer em ver pela primeira vez. Percebi que os mitos e os tabus que cercam a minha cabeça são frutos exclusivamente dela e que não existe o menor problema em quebrar tais barreiras imaginárias. Grandes surpresas surgiram assim. Teve momentos que tive vontade de “jogar tudo pro ar”, mas agindo racionalmente a vontade passou e o mundo voltou a girar na direção certa. Fiz viagens para longe e para perto, longas e curtas. O que era para ser uma visita de aproximadamente dez dias durou um mês e lá encontrei uma espécie de segunda família. Abri mão de um sonho, chorei, sofri e superei para perceber que era questão de encontrar um sonho maior ainda. Conheci vários garotos, me encantei por alguns, mas gostei com sinceridade apenas de um. Superei pessoas, pois tive a capacidade de diferenciar comodismo e fixação de sentimentos verdadeiros. Com a ajuda dos meus anjos da guarda materializados em pessoas especiais enfrentei meus medos e tento, diariamente, controlar meus fantasmas interiores. Tive a capacidade de enfrentar um professor e entregar uma prova em branco por causa da maneira que esse tratou uma pessoa que eu gosto muito. Acho que meus delírios de consumo estão piores, o que resulta na minha época mais vaidosa. Tentei me afastar de um grande amigo e esquecer um possível amor, foi inútil, ele já tinha criado o seu personagem na minha história chamada de vida que não admitia substitutos. Viajei até Barretos com um grande companheiro, vi um show e voltei para Uberlândia no prazo de poucas horas. Descobri que é a melhor sensação de todas é dormir e acordar com o beijo das pessoas que gostamos. Percebi que não sou tão fresca quanto imaginava, posso ser mais meiga que aparento e muito mais brava quando estou nervosa. Comprei brigas que não eram minhas para defender amigos. Fiquei super bêbada com os amigos da faculdade no primeiro jogo do Brasil na copa do mundo, mas não foi uma bebedeira qualquer, uma espécie de “super porre”. Depois disso parei de beber porque certo alguém me pediu da maneira certa. Fiz uma limpeza nas minhas gavetas e mural de fotografia, em que tirei de tais lugares todas as lembranças do passado que não velem a pena, na verdade foi uma limpeza na alma. Usei o vestido do casamento da minha irmã no ano novo, superstição ou não, hoje tenho o namorado perfeito. Faço drenagem linfática e aulas de kickboxing, faz bem para o corpo e para o ego. Descobri que não importa o lugar, se as companhias forem agradáveis tudo é bom. Tive coragem de escrever uma carta e entregar para a pessoa que gostava. Conheci um ex presidiário (preso por assalto de pessoas e carga) em uma viagem (ele estava sentado ao meu lado durante a viagem), em que senti muito medo, mas a curiosidade foi maior, o que rendeu horas de conversas. Vi um jogo do Flamengo contra o Cruzeiro em um estádio de futebol, detalhe, vestida com a camisa do Flamengo e sentada na torcida do Cruzeiro. Na primeira semana de aula de kickboxing, tomei um soco e passei o final de semana saindo e viajando com o rosto muito roxo. Preparei meu primeiro jantar, com a ajuda da minha mãe, para uma pessoa especial para demonstrar o quanto senti sua falta enquanto ele viajava (vale lembrar que acabei fazendo só a sobremesa e a salada kkkk). Percebi que mensagens ou ligações em celulares têm grande impacto, mas bilhetes manuscritos, ainda, são os melhores. Fiz audiências de conciliação, descobri que existe muita pessoa boa, malandra e sem educação. Aprendi a pedir comida pelo telefone, o melhor jantar de todos. Cozinhei meu primeiro macarrão para o meu sobrinho. Ganhei um livro de um seminarista que conheci por meio do meu blog. Voltei a conversar com pessoas, parei de falar com outras, simplesmente, apaguei-as da minha vida. Passei o meu aniversário longe de casa e incomunicável na companhia de pessoas mais que queridas. Foi o primeiro ano que passo longe da minha mãe, mas eles fizeram com que o dia fosse muito especial. Mas, principalmente, descobri que um jogo de verdade ou conseqüência é algo muito sério, que pode incluir pessoas ao nosso cotidiano de tal maneira que é impossível tirá-las. Hoje sou muito feliz por causa do pedido de uma conseqüência que fiz a alguns meses. Que o próximo e todos os anos sejam assim, repleto de sensações e sentimentos surreais e intensos.
(Mariana Tannous Dias Batista)

E eu termino o ano com aquela sensação de missão cumprida, de que foi um ano muito bem vivido. Termino o ano me sentindo feliz e realizada. "Mariana Tannous Dias Batista"

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O PAPEL DA MÍDIA NAS PESQUISAS COM CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS

A mídia tem grande importância social, pois é um dos recursos utilizados pelos cidadãos para a obtenção de informações, ou seja, adquirir conhecimento a respeito de um determinado assunto, o que faz com que os veículos de informações funcionem como um elo entre o fato e as pessoas, caracterizados por serem formadores de opiniões.

Ao mencionar o tema referente às pesquisas com células tronco embrionárias, os jornalistas enfrentam os mais variados obstáculos, pois, por não ser um tema em que todos têm conhecimento, tais profissionais devem vincular as notícias de maneira acessível as pessoas, ou seja, com o linguajar apropriado (sem a utilização de termos médicos, mas o texto deve apresentar as informações corretas e completas) e tentarem, ao máximo, se desvincular dos interesses particulares dos veículos de informações e da indústria farmacêutica, por exemplo.

A profissão do jornalista exige que esse tenha como principal objetivo transmitir a veracidade de um assunto para a população e de conscientizá-la, em que o profissional deve agir de maneira imparcial nos fatos relatados. Porém não é o que ocorre, pois a partir do momento que as ações mundiais são baseadas no sistema capitalista, várias notícias transmitidas têm, na verdade, um objetivo implícito. Exemplo disso é se uma grande empresa financia um jornal e ocorre algum fato envolvendo a mesma, o jornal que recebe o capital não fornece a matéria com todos os fatos corretos, seja por omissão ou por distorção da realidade. Assim, como conscientizar a população referente às pesquisas com células tronco embrionárias se esse é um campo novo e que apresenta divergência de opiniões técnicas, sociais e religiosas?

A mídia transmitiu várias informações referentes às pesquisas com células tronco embrionárias, como a revista Veja na editoria de contraste e edição de número 2058 com a matéria “As embrionárias é que curam- Pesquisa na área da cardiologia mostra a superioridade das células de embriões sobre as adultas” e a revista Super Interessante, edição de número 248, com o título de “Só a morte salva- Pesquisadores criam células-tronco embrionárias, capazes de salvar vidas, sem "matar" embriões. Mas a ciência ainda precisa deles. E a polêmica continua.”, por exemplo.

As edições de revistas que abordam o tema foram diversas e com vários exemplares vendidos, já que o assunto aguçou a curiosidade dos cidadãos. Entretanto, a mídia pecou em não abordar na totalidade e com os esclarecimentos concretos os conceitos de vida e morte proposto pela nova ciência, ocorreu à manipulação ideológica em relação à religião, pois as matérias foram baseadas em princípios da religião católica, contrária a técnica nova, sem que os jornalistas recorressem às demais para saber o posicionamento dessas e a maneira sensacionalista, visando o lucro dos veículos de comunicação, como o tema foi abordado, o que gerou mais polêmica e dúvidas nas pessoas. Assim, pode-se concluir que as matérias que visavam elucidar a população a respeito do assunto resultaram em mais divergências de opiniões entre os mais variados setores da sociedade.

Os jornalistas encontram dificuldades ao elaborar uma matéria referente às pesquisas com células tronco embrionárias, pois vários laboratórios não permitem que as gravações sejam realizadas nas dependências do estabelecimento e os cientistas envolvidos são orientados a não darem explicações detalhadas a respeito do assunto, ou seja, falam apenas o que já foi transmitido na mídia ou algum dado que seja interessante a empresa patrocinadora do estudo.

“Tive que escrever uma matéria a respeito do tema para um trabalho de faculdade, porém a dificuldade em encontrar pessoas que estivessem dispostas a debater o assunto foi enorme. Praticamente escrevi minha reportagem baseada em artigos que já haviam sido publicados em outros veículos de comunicação e tive muita cautela para que as informações fossem compreendidas pela população, em que usei de termos técnicos com suas respectivas explicações”, afirmou a estudante de jornalismo Fernanda Rocha, 22.

Tanto a mídia quanto a ciência são ferramentas importantes ao desenvolvimento, em que aliadas apresentam aspectos positivos ao cotidiano das pessoas. Assim, os pesquisadores e cientistas poderiam facilitar o trabalho dos profissionais da mídia que deveriam agir conforme a ética do jornalismo, por exemplo, o que resultaria em mais conhecimento para a população.

(Mariana Tannous Dias Batista)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

VIDA- A teia alimentar da sociedade.

Diariamente as pessoas são bombardeadas com conselhos para que vivam intensamente, que os jovens devem aproveitar ao máximo as diversas situações cotidianas, tais afirmam que os idosos são os livros de história da humanidade e que a morte é a única certeza que os seres têm dessa passagem pela Terra. Assim, o que é a vida? Ou melhor, existe uma maneira correta de se viver? Perguntas sem respostas determinadas, mas com diversos caminhos a serem percorridos e variadas escolhas.


1º- Algumas doses de venenos não são letais- Verdades ditas na hora e da maneira correta podem doer, mas são melhores que as mentiras. Mascarar a realidade nunca foi a melhor solução para os problemas.


2º- O seu destino é você quem faz- Cada um é responsável pelas escolhas feitas. Assim, o que aconteceu fica no passado, mas algumas atitudes podem repercutir no futuro.


3º- Não planeje sempre as situações- A rotina tende a ser tediosa, o que faz com que o inesperado seja muito melhor. Que todas as pessoas possam desfrutar de uma dose diária de uma montanha russa de emoções para que cada momento seja único.


4º- Mudar de opinião não significa ser sem personalidade- As pessoas têm o direito de mudar de opinião após conhecer uma situação em sua totalidade. Sempre existem dois lados para um determinado fato.


5º- Falar “eu te amo” é algo sério- Se você não ama não diga apenas para agradar a outra pessoa, pois nunca é válido brincar com os sentimentos alheios.


6º- Gente comum cansa- Ser espontâneo é fundamental, mas tenha cuidado para não confundir o significado de espontaneidade com ser ridículo.


7º- Ser careta, em alguns pontos, é fundamental- Saber falar não na hora certa poder ser o diferencial. Saiba sempre reconhecer seus limites e tenha a consciência de que não se deve fazer alguma coisa apenas por estar na moda ou porque todos fazem. Se tiver vontade de fazer alguma coisa, mesmo sabendo que não é a melhor opção, tenha ao menos a coragem de assumir todos seus atos e as conseqüências desses.


8º- A madrugada sempre resultou em grandes façanhas-Quando tá escuro/ E ninguém te ouve/ Quando chega a noite/ E você pode chorar” parte da música Lanterna dos Afogados de Os Paralamas do Sucesso que remete a idéia deste item. Ou seja, basicamente durante a madrugada todos os nossos fantasmas são aflorados, o que faz com que as idéias mais absurdas sejam pensadas, as atitudes sejam tomadas por uma coragem antes inexistente e as grandes façanhas realizadas.


9º- Tenha sempre suas teorias- Elabore e defenda suas teorias, ou seja, o seu ponto de vista perante as coisas, em que caso seja necessário, compre uma briga para demonstrá-lo, porém saiba reconhecer quando estiver errado. Saber reconhecer o erro e se desculpar por esse é uma grande virtude que poucos homens têm.


10º- O segredo é não correr atrás das borboletas- As pessoas não devem “correr atrás” das outras, ou seja, mendigar por amor, mas sim conquistá-las diariamente. Ou seja, se as pessoas forem cativadas não terá a menor importância quanto tempo passe ou à distância, um carinho especial existirá entre essas.


11º- Respeito sempre- Não interessa o tamanho da raiva, nenhuma situação permite que tratemos outra pessoa sem respeito. Pense e respire fundo quando uma pessoa lhe atirar uma pedra para poder retribuir com uma rosa. Dinheiro qualquer um tem a capacidade de conseguir, mas “berço vem de casa” e é para poucos.


12º- O sorriso pode ser a máscara da lágrima oculta- Não são todas as pessoas que precisam ter conhecimento a respeito do que acontece em sua vida particular. Assim, por mais que a vontade predominante seja a de chorar, ao sair de casa deve-se transparecer aos outros que é a pessoa mais feliz que existe no mundo. “O que eu ganho, o que eu perco/ Ninguém precisa saber”.


13º- O silêncio, às vezes, resolve mais que mil palavras- Em momentos de raiva, manter a boca calada pode ser a melhor situação, pois as pessoas tendem a falar coisas que, geralmente, se arrependerão posteriormente. É uma ótima maneira de evitar futuras dores de cabeça.


14º- Às vezes é melhor esquecer- Quando uma roupa não serve mais, uma idéia não parece tão perfeita e um grande amor já não lhe faz tão bem, a melhor alternativa é “esquecer”. Mas pense bem, que esse esquecer seja entre aspas, pois todas as situações vivenciadas contribuíram para a formação do que a pessoa é no presente, portanto o que deveria ser usado é a prática do desapego de coisas que fizeram bem, mas que não fazem mais e a luta por aquilo que preenchem as lacunas vazias dos seres.


15º- Bom humor e inteligência são afrodisíacos- Pensa em uma pessoa que conversa a respeito dos mais variados assuntos e ainda tem a capacidade de fazer a outra rir. Basicamente é isso, um afrodisíaco mais que natural que surte efeitos sem prazo de validade.


16º- Seu jeito, sua característica, seu estilo, você- Jamais tente ser uma pessoa que você não é. Ou seja, os outros devem gostar de quem a pessoa realmente é, com todas as qualidades e, principalmente, os defeitos. Porque, basicamente, ninguém consegue viver um personagem vinte e quatro horas por dia.


17º- Destile sempre emoções- Se a pessoa é daquele tipo que sorri vinte e quatro horas por dia é porque algo está errado. Assim, destile as verdadeiras emoções, em que chore, grite, sorria, gargalhe, fique muito nervoso e com o rosto com aparência de lerdo. Não importa o que seja, pois um sentimento sincero tem a grande capacidade de fascinar as outras pessoas com enorme facilidade.


18º- O novo só é novo no primeiro momento- As pessoas tentem a fugir das situações com a alegação de que cansaram de freqüentar sempre os mesmos lugares ou verem as mesmas pessoas. Entretanto, em qualquer parte do mundo, o novo só é novo ao primeiro encontro, ou seja, um lugar só apresentará novidades na primeira vez que a pessoa o freqüentar, depois será apenas mais uma situação inclusa na rotina, por exemplo.


19º- Não seja louco, seja feliz- Isto se aplica a todos que são chamados de loucos por causa de determinadas atitudes. Caso as ações sejam feitas com responsabilidade, não são sinônimos de loucura, mas sim de felicidade.


20º- Sentir medo é fundamental- O medo é bom para forçar as pessoas a superarem os seus limites. Uma dose de adrenalina, sentir o sangue correr nas veias é fundamental para lembrar o quanto é bom estar vivo. Agradeça sempre por isso.


21º- Relacionamentos acabam, mas os amores não- Não é porque um relacionamento não deu certo que as pessoas não devem manter contato. Verdadeiros amores superam a distância e o tempo, perdoam e superam. Verdadeiros amores existem entre os familiares, os amigos especiais e os animais companheiros, por exemplo, basta saber procurar, enxergar quando os encontrarem e a pessoa ter capacidade para cultivá-los.


22º- Olhar tudo e dizer “valeu à pena”- Viva intensamente e aproveite tudo o que a vida tem a lhe oferecer. Saiba ver um lado positivo nas piores situações e reconhecer o valor daquelas que foram fundamentais. Apaixone-se diariamente, ria muito, chore quando necessário (não tema isso), dê um beijo de bom dia, ligue para uma pessoa de madrugada apenas para ouvir a sua voz e falar o quanto ela é especial. Viva como se todos os dias fossem o último, não deixe passar as oportunidades diárias e jamais tema a felicidade.


(Mariana Tannous Dias Batista).




Como já disse o grande poeta Raul Seixas...
Não sei onde eu to indo/ Mas sei que eu to no meu caminho”
(Mariana Tannous Dias Batista)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

SISTEMA CAPITALISTA


EU, UM PRODUTO DO SISTEMA. EU, UMA CABEÇA PENSANTE

Qual será a verdadeira razão para as pessoas gastarem fortunas em viagens e terem uma enorme dificuldade em doar a mesma quantia aos mais necessitados? Qual o motivo dos seres olharem as vitrines das lojas com tamanha cobiça e ilusão e preferirem fechar os olhos para as desigualdades sociais? Simplesmente, as respostas para tais perguntas podem ser resumidas no conceito de prioridade alheio ou no sistema econômico social que rege os seres humanos ao viverem em comunidade ou, ainda, uma junção de ambas as situações.

O sistema que influencia todas as atividades das pessoas no cotidiano é o capitalismo cujas diretrizes são baseadas no constante acúmulo de capital e na busca pelo poder mediante os objetos e, principalmente, os seres. Porém, tal sistema, propriamente dito, não pode ser responsabilizado pelo estado de caos que o mundo encontra-se, mas sim a conduta humana, visto que a elaboração, o desenvolvimento e a instituição do capitalismo como modelo fora proveniente das atividades e dos pensamentos das pessoas. Assim, o homem promove críticas negativas, diariamente, a uma criação que tem apenas a sua assinatura como fundador.

Querer que todas as pessoas vivessem em um suposto estado de cooperativismo seria algo utópico na atualidade. Que atire a primeira pedra quem não gosta de viver com o máximo de conforto possível ou que não fica feliz por comprar algo de marca. Melhor, que atire a primeira pedra quem abriria mão do suposto luxo que tem para que o outro tivesse uma vida melhor. As pessoas são os produtos do meio, as quais pensam e portam-se conforme os costumes sociais, em que todo comportamento desviante de tais condutas é considerado como errado e inapropriado. Entretanto, em meio à ideologia capitalista, o que foi feito dos princípios e valores que cada pessoa deveria ter como sua base fundamental? É inútil tentar mudar o mundo sem, antes, cada pessoa rever seus conceitos e suas prioridades.

Assim, chego ao foco do problema. Basicamente, não é o sistema que deveria mudar, mas a conduta das pessoas. Ou seja, tais poderiam desfrutar de um conforto proporcionado pelo acúmulo de capital e, mesmo assim, serem caracterizadas por apresentarem uma “cabeça pensante”, em que questionariam e lutariam para que seus direitos fossem assegurados, teriam desejo pelo ensino e a obtenção do maior número de informações possíveis para que fossem mais aptas em suas escolhas, como nas eleições, por exemplo, e não mascarariam os problemas sociais como se esses não existissem, o que resultaria em menos comodismo e mais ação consciente.

Quem sabe se a palavra “eu” deixasse de representar apenas um pronome pessoal do caso reto, ou seja, algo único e singular e tivesse a capacidade de transmitir a idéia de uma massa pensante, a sociedade apresentaria menos alienação em sua estrutura. Dessa maneira, as pessoas pensariam em outro assunto que não fosse capital, pois teriam tempo para preocuparem-se com os problemas alheios e expressariam sentimentos sem sentirem vergonha disso, isto é, deixariam agir feito as máquinas programadas e poderiam voltar a brincar de ser gente.


(Mariana Tannous Dias Batista)


sábado, 14 de agosto de 2010

"Não me falta homem, o que me falta é amor."

Marilyn Monroe, sinônimo de beleza inexplicável, no auge de sua carreira disse que não lhe faltava homem e sim o amor. È muito fácil fingir um personagem e agradar a todos ao redor, o único problema dessa atitude é que a pessoa se “perde no meio do caminho”, ou seja, a principal parte dessa, sua essência, é esquecida.

Ao se pensar na palavra amor, o significado de tal remete apenas a aspectos positivos, como se tal “substância” fosse essencial ao cotidiano dos seres. Sim, não há menor dúvida de que ninguém vive sem sua overdose diária desse sentimento, assim me questiono a respeito do real motivo das coisas não serem tão fáceis quando o assunto é relacionado ao amor. Isso ocorre, simplesmente, porque as pessoas não vivem suas fantasias, mas lidam com a realidade no cotidiano, na qual os príncipes e princesas apresentam defeitos e não sorriem o tempo todo.

Os efeitos da bomba atômica do amor são sentidos diariamente e de diversas maneiras pelas pessoas, sejam por meio de palavras, os gestos, as ações e, até mesmo, as brincadeiras. Exemplos disso é a capacidade que um sorriso sincero tem de iluminar alguém tanto quanto a energia elétrica, um olhar profundo é capaz de transmitir as mais sublimes mensagens que o coração oculta, pois os lábios não sabem como transmitir a intensidade de um sentimento ou as ações como estender os braços ou oferecer um colo para o outro quando suas lágrimas teimam em prevalecer mais que uma boa gargalhada.

Inconstante, o amor não escolhe maneira e nem pessoa para acontecer. Ou seja, é representado por uma mãe que chega a ser inconveniente apenas para não ver seu filho triste, em que essa faz de tudo e mais um pouco para melhorar o humor de sua prole e se não consegue sofre junto como se o problema fosse seu ou quando uma amiga fala às verdades que ninguém teve a coragem de falar, o que faz com que a pessoa fique pior, mas esse é o sentido da amizade, se preocupar e ficar sempre ao lado do outro nas mais variadas situações. Assim, o amor pode ser resumido em um querer bem do próximo e fazer de tudo para que isso ocorra, mesmo que implique em abdicar de suas próprias vontades e sentimentos.

Quando menos se espera as pessoas encontram alguém para compartilhar a vida, mas não apenas as coisas boas, pois não teria graça. Desta maneira, surge um companheirismo para as atividades que nunca foram imaginadas, as confidências são trocadas ao ponto da intimidade ser estabelecida e as loucuras são vividas de maneira intensa. Assim, as pessoas podem ser elas mesmas, sem fingimento e mentira, em que um reconhece o outro apenas pelo olhar e tentar fingir uma situação ou omitir outra é inútil, pois parece que os pensamentos mais secretos são “estampados na testa”. Eu sou a prova disso, pois não querendo agradar uma pessoa foi quando eu me encontrei de verdade, esqueci um personagem e vivi como sempre desejei, sendo eu mesma. E fui muito feliz assim.

A vida é feita de escolhas e caminhos a serem seguidos, o que faz com que os mais variados tipos de pessoas sejam personagens de um livro com páginas em branco escritas diariamente. Em meio a uma dessas estradas, caso encontre uma pessoa com a qual você possa compartilhar os acontecimentos cotidianos, que te faça chorar por sentir raiva de determinadas situações, que provoque uma vontade de sumir, mas que tal desejo resulte em uma saudade incontrolável e, principalmente, que seja aquela pessoa que te faça rir sempre e em apenas mencionar seu nome seus olhos ganharem um brilho especial, definitivamente você será uma pessoa de sorte. Tal pessoa pode ser apelidada como o amor da sua vida, um grande amigo, uma paixão avassaladora ou um grande companheiro. A definição precisa não existe, em que a única certeza é que essa pessoa será responsável por provocar um sentimento inexplicável, o mais próximo que o surreal pode atingir no quesito de realidade.
(Mariana Tannous Dias Batista)



domingo, 8 de agosto de 2010

Meu pai, meu herói e meu bandido.

Pai palavra com apenas três letras e, ao mesmo tempo, com diversos significados. Seres que foram geneticamente ou culturalmente programados para amarem seus filhos mais que tudo que exista nesse mundo, mas de complicada definição quanto à importância dessa figura no cotidiano de suas proles.

Cada pessoa tem um estilo de pai e, consequentemente, uma relação de afinidade estabelecida com esse. No meu caso o homem que fora destinado a ocupar tal papel chama-se Frederico e, mesmo com seu nome significando dirigente da paz, esse é de complicada convivência, mas é bastante gratificante sua presença e triste sua ausência.

Meu pai, meu herói, meu bandido e minha vida. É aquele que me manda trocar de roupa quando saio a noite para não admitir que sua filha cresceu, que fala um monte de bobeira em tom de brincadeira para que a verdade não doa tanto, que implica com a quantidade de comida do meu prato e, mesmo assim, pede para eu escolher os restaurantes quando saímos, que critica todos os namorados para mascarar um ciúme implícito em todas as frases ditas a respeito desses e que me morde nos braços, deixando-os roxos e até com pontos vermelhos de sangue, para demonstrar que me ama. Sim, eu não tenho um pai convencional e, muito menos, tradicional. Sou grata por isso!
É um típico representante do egocentrismo que não aceita ser contrariado. Se ele disse algo, aquilo passa a ser verdade universal e tentar convencê-lo de que está errado sobre determinado assunto é algo inútil, pois além de manter a história com vários detalhes ainda apresenta diversos argumentos para sustentar sua versão. Dessa maneira já brigamos feio por pouca coisa, pouca mesmo, pois quando o assunto era importante, os discursos foram ouvidos de uma distância que ultrapassa a separação entre os estados de Minas Gerais e Tocantins, o que me fez chorar por diversas, mas, hoje, exerce grande influência em minha personalidade, pois me ensinou a batalhar por aquilo que acredito mesmo que existam vários obstáculos no caminho da conquista.

Os especialistas afirmam que os pais devem saber dizer não aos filhos, como se essa fosse uma regra escrita em algum manual que tais deveriam ler durante a gestação. Nesse ponto me questiono, onde meu pai estava que perdeu essa parte do livro? Brincadeira para mencionar que ele nunca me negou nada, pois é aquele estilo de pessoa que abre mão de seu conforto ou de suas vontades para ver o outro feliz. Quando falo em negar algo me refiro aos mais diversos aspectos que a palavra pode atingir, o que varia de montantes de roupas e sapatos, viagens, uma possível plástica no nariz, uma folha de alface, um beijo no rosto acompanhado com uma mordida de amor no braço ou, simplesmente, uma mentira do bem para que terceiros não interrompessem nossas conversas semanais no celular. Tenho a certeza que posso contar com ele sempre que precisar, nem que seja para matar aula para conversarmos ou apenas falar que sinto a sua falta e o amo demais.

Mas nem tudo sempre foi um mar de rosas. Mesmo não tendo encostado a mão em mim como forma de educar, nem ao menos uma única vez, suas palavras em determinadas situações machucaram mais que a agressão física propriamente dita. Brigamos muito, principalmente em relação a minha escolha de curso superior, em que ofensas foram trocadas e lágrimas derramadas. Mas como em qualquer guerra, uma hora as batalhas acabam e a paz volta a reinar. No fundo eu sei que ele agiu assim, simplesmente, pensando no meu bem e querendo o melhor para o meu futuro, o que fez com que eu sempre buscasse o meu melhor e superar-me cada vez mais como forma de fazer com que ele sempre sentisse orgulho de mim, orgulho de gritar pro mundo que é meu pai.

Meu pai, meu amigo, meu companheiro. Aquele cara que se fez presente ao meu cotidiano mesmo que fisicamente não esteja por perto, o “coroa” que tem atitudes de jovens e alma de criança, o dito cujo com o qual eu posso falar sobre os mais variados assuntos sem censura e muito menos pudor e aquele que me chama para ver os filmes em sua companhia, com a condição de que eu fique de boca calada e não toque no controle remoto. Fazer o que, em todas as casas existem suas regras.

Cada pessoa que conhece meu pai tem uma visão a respeito da pessoa que ele é. Isso ocorre porque ele é mil pessoas em apenas um pequeno corpo com um enorme coração. Um pequeno grande homem, o sistemático bizarro, o sério carinhoso, o insensível que se comove, o exigente tranquilo, o Dr. Frederico e meu pai, o com defeitos e diversas qualidades, o possessivo liberal, o engenheiro ótimo no gatilho, o que grita e odeia quando falam alto em sua presença. Um homem com características infinitas, com histórias que renderiam um bom livro, um cara que eu tenho orgulho em dizer que é meu pai e que ele é o melhor em tudo, uma espécie de herói cujo posto ninguém consegue ocupar. É aquele que foi e é tão importante e único para a formação do que sou hoje, em que as palavras “obrigada por tudo” não teriam sentido perto do quanto sou grata a ele e a expressão “eu te amo” não teria a capacidade de transmitir a intensidade de um sentimento inexplicável.


(Mariana Tannous Dias Batista)

terça-feira, 8 de junho de 2010

FATOS DA VIDA


Simplesmente, porque a vida é feita de uma inconstante montanha russa de emoções e situações.


1º - Quando você planeja uma situação, as chances de tudo acontecer ao contrário são enormes


Simplesmente, você compra aquela roupa decotada para impressionar determinada pessoa e o clima muda para super frio, planeja um feriado super romântico a dois, mas acaba em casa fazendo sala para aqueles parentes que você não viu durante vários anos e que resolveram aparecer junto naquela data ou prepara todo aquele esquema de cola e o professor te muda de lugar “ferrando” com a sua vida. Fatos, fatos e mais fatos!


2º - A deficiência está no coração


Não são os números de cromossomos ou se todos os órgãos do corpo funcionam de maneira correta que uma pessoa é melhor que a outra. As atitudes, o caráter e os princípios que determinam a índole dos seres. Ninguém é melhor que ninguém, o que acontece é que algumas pessoas apenas destacam-se mais em determinadas situações.


3º - O melhor estado civil é o feliz


Se a pessoa está feliz, nada mais importa. Lutamos para sermos bem sucedidos profissionalmente e para que os relacionamentos amorosos sejam sempre positivos, mas, basicamente, a constante busca do homem até o fim dos dias pode ser resumida na procura pela fórmula da felicidade, necessária a base de todos.


4º - A pessoa que você sempre desejou só manifesta interesse quando você está comprometido


Você passa meses ou anos solteiro freqüentando todos os tipos de festas e curtindo muito, mas sempre existe aquela pessoa em especial que provoca um determinado desejo, mas que nunca percebeu a sua existência. Porém, é só você começar a namorar e fazer tudo direito para que o relacionamento tenha futuro que “a tentação” em questão passa a te notar e demonstrar interesse por você.


5º - As coisas simples da vida são as melhores


Acontecem quando os momentos em que não fazer absolutamente nada de especial foram fundamentais para viver situações inesquecíveis.


6º - Bom humor e inteligência são afrodisíacos


Todas as pessoas devem ter aquele indivíduo que as fazem sorrir, que sempre tem assunto para horas de conversa e ainda as acompanham nas mais variadas situações presentes no cotidiano. Uma dose de bom humor acompanhada com várias outras de inteligência é a receita ideal para um bom relacionamento.


7º - As melhores dietas são aquelas que não começam na segunda-feira


Dietas que começam na segunda-feira tendem a falhar, pois quando o sábado e o domingo se aproximam a pessoa não agüenta mais ver as pequenas porções de comida acompanhadas de várias folhas, o que faz com que essas comam o que tiverem vontade nesses dias. Assim, aquelas que foram iniciadas no meio da semana resultam em maior sucesso, pois foram poucos os dias de “tortura” e a pessoa ainda está animada para seguir a rotina de alimentação proposta. Se nem a semana começa na segunda-feira, qual o motivo das dietas começarem?


8º - Você nunca encontra aquilo que procura quando mais precisa


Você estava com determinado objeto nas mãos ou se lembra de tê-lo visto, mas sempre que precisa este nunca está onde deveria e, geralmente, as pessoas necessitam desses quando estão atrasadas para determinados compromissos que exigem pontualidade.


9º - Menstruação sempre desce na hora errada


Você está a caminho de um churrasco com direito a piscina com os amigos ou compra aquela lingerie para surpreender o namorado e, simplesmente, recebe a tal visita mensal não tão agradável que arruína todos os planos minuciosamente planejados.


10º - Praga de mãe sempre pega


Isso é mais que verdade. Você apresenta um possível candidato à vaga de namorado para sua mãe que faz cara feia e fala que o garoto não presta, o que gera uma briga entre vocês, mas com o tempo percebe que, realmente, se tratava de um canalha ou ela vive falando pra você levar uma blusa de frio, mesmo fazendo muito calor. Resultado, o tempo muda e você passa frio a noite inteira. Resumindo, toda mãe tem um pouco de vidente, mas ainda não sei o quão positivo isso é.


11º - Aquela noite que você bebeu todas na balada é a única que seus pais não dormiram cedo.


Você resolve sair com os amigos e abusa de todas as bebidas alcoólicas que conhece e desconhece como curtição absoluta. Resultado, chega em casa sem nem saber como colocar a chave na porta, pois nesse estado saber seu nome completo é algo praticamente impossível, e, logo ao entrar, depara-se com seus pais mais acordados que nunca e, pior, esperando você chegar para irem dormir. Tentar inventar uma desculpa convincente para o seu estado, a essa altura do campeonato, simplesmente não irá acontecer.


12º - Você se apaixonará por aquela pessoa que nunca imaginou


Isso ocorre sempre. Só que não sei se é porque as pessoas não controlam os sentimentos ou se os cupidos andam com defeitos, ou esses se encontram no estado mencionado no fato acima. Resumindo, as pessoas sempre serão surpreendidas por um relacionamento que nunca imaginaram o que é positivo, pois deparam-se com uma inconstante montanha russa de emoções diariamente.


(Mariana Tannous Dias Batista)







terça-feira, 1 de junho de 2010

ESTADO CIVIL: FELIZ

No dia 12 de junho, as pessoas comemorarão a data destinada aos comprometidos, o dia dos namorados. È comum as lojas já estarem enfeitadas com artigos que possam representar o amor e a paixão e idéias para surpreender o outro são elaboradas, ou seja, todos os detalhes são revisados minuciosamente para que tudo seja especial, inesquecível. Não sei se é pela época do ano propriamente dita ou pelo tema estar em foco ultimamente, mas concluí que o tal do relacionamento amoroso é “um saco”, pois as pessoas ficam péssimas quando algo de errado acontece e piores ainda na ausência deste.


Os relacionamentos são construídos por meio de vários altos e baixos, os quais são fundamentais ao cotidiano, em que não se exige nada de perfeição, pois essa não existe, já que somos esculturas e nosso barro contém rachaduras, o que varia é à proporção que as pessoas deixam transparecer dessas. Que os relacionamentos vêm acompanhados dos mais variados aspectos positivos e negativos não é segredo pra ninguém, mas como saber quando esses começam e terminam? Como saber quão envolvido a pessoa está com a outra?

É comum as pessoas não se envolverem sentimentalmente com o outro por receio da relação não ter um futuro promissor, entretanto é mais rotineiro ainda quando essas acabam se apaixonando, justamente, por aquela pessoa que nunca imaginaram. Envolver é fácil, assumir que é o difícil. Ficar com uma pessoa é, relativamente, fácil, manter a relação é complicado, mas colocar tudo o que se vivenciou a perder, ocorre em fração de segundos.


Os mais velhos falam que uma pessoa sabe quando está apaixonada. Tudo bem, mas como saber quando tal fato ocorreu? Impossível, pois os relacionamentos começam de maneiras variadas e nem sempre as pessoas percebem isso, notando apenas quando já estão muito ligadas ao outro. Acontecem por meio de uma brincadeira, uma amizade, encontros em festas, uma intensa troca de olhares ou, simplesmente, uma briga. Sim, até durante as brigas é capaz de florescer um amor, já que muitas pessoas só valorizam aqueles ou aquilo quando os perdem.


Cada relacionamento resulta em um novo aprendizado. Com estes, aprende-se a perdoar, esquecer, amar, aceitar e superar, mas aprende-se também que o fim, às vezes, é inevitável e até a melhor solução. Tudo era perfeito, o beijo fazia parecer que as bocas foram desenhadas para se encontrarem e a companhia era ideal, entretanto, perdeu a graça. Para construir um amor são fundamentais várias coisas, mas para perdê-lo, apenas um detalhe é o suficiente. Assim, o coração não bate mais rápido e mais devagar na presença da pessoa, os encontros passam a ser irrelevantes e as atitudes alheias não provocam tanto impacto quanto antes. Sim, a pessoa pode amar o outro intensamente, mas isso não é suficiente para continuarem juntos, ou seja, a relação não é prioridade.


O fato de o romance começar e terminar pode ser considerado, quase, uma verdade universal da vida. Entretanto existem aqueles seres que amam em segredo, os quais sofrem e superam sem que o objeto de tamanho desejo tenha idéia do que aconteceu. Às vezes não chega a ser o caso de um amor platônico, mas apenas uma falta de coragem em assumir que a pessoa se apaixonou e que todas as suas teorias são irrelevantes, em que o orgulho, o medo, o receio e a renúncia assumem o mesmo significado. Significado esse de abdicar da vontade de estar junto para não contrariar certos ideais já estipulados. Qual é o propósito disto? Realmente, não sei.

Cada pessoa tem um papel na vida alheia, em que toda situação vivenciada não é em vão, faz parte da história pessoal de cada um. Nessa metamorfose ambulante que apelidaram de vida, conheci pessoas de maneiras inusitadas, terminei namoros simplesmente por não fazerem sentido, deixei de amar “amores” antigos quando achava que o sentimento era intenso e me apaixonei por relações casuais. Quebrei minhas próprias regras, sofri, superei e aprendi. Vivi intensamente, de maneira surreal, conforme as minhas escolhas e vontades. Afinal, é isso que as pessoas deveriam fazer, ou seja, buscarem suas próprias alternativas de ser feliz.


Imaginei e tentei controlar todos os meus sentimentos, analisei o presente e pensei no meu futuro e escolhi tudo como deveria ser, tracei o meu destino. De repente, nada disso realmente importava, estava sem sentido, então guardei o meu manual de instruções no fundo da gaveta e, simplesmente, comecei a viver sem tentar adivinhar os caminhos do destino.












(Mariana Tannous Dias Batista - Estado civil: feliz)

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Manual da “Relação Bandida”

Antes de escrever as principais regras para uma boa “relação bandida” é necessário um prévio conceito sobre o assunto, ou seja, tal expressão não passa de um termo popular utilizado para designar uma relação sem compromisso. Assim, mencionarei algumas regras básicas para que um relacionamento seja classificado dessa maneira.

1) “Relação Bandida” não é namoro. Essa é a principal regra, em que a pessoa deve ter consciência de que, mesmo saindo com a outra parte envolvida várias vezes, elas não namoram;

2) Não é permitido nenhum tipo de cobrança. O melhor desse tipo de relacionamento é que a pessoa não deve satisfações sobre suas ações, portanto tudo é válido, contanto que tenha respeito;

3) Ciúme é algo inexistente. Como não existe compromisso, as partes têm o livre arbítrio para saírem com outras pessoas;

4) É permitido beijar outra pessoa na mesma festa. Isso é uma questão de acordo na relação, ou seja, fica a critério de cada pessoa;

5) Não é obrigatório dar presente em datas especiais. Não é dever dos envolvidos se presentearem, mas sempre é bom para demonstrar que você se interessa pelo outro;

6) São válidas as ligações na madrugada. Caso você chegue bêbado em casa às 04h00min da manhã ou simplesmente esteja sem sono, nada melhor que ligar para seu relacionamento bandido para continuar a noite;

7) As “Relações Bandidas” apenas são permitidas quando as partes são solteiras. Sim, caso um dos envolvidos esteja compromissado, de “bandido” a pessoa é promovida a amante;

8) Quem come calado, come duas vezes. Regra básica é nunca comentar o que aconteceu com outras pessoas;

9) Ser discreto é fundamental. Ninguém precisa saber que você tem uma relação assim e, principalmente, quem é o envolvido nela;

10) Mesmo sendo uma “Relação Bandida”, respeito sempre é fundamental. Respeito é o mínimo que devemos ao próximo;

11) É necessário deixar suas intenções bem claras. Se você está à procura de uma “relação bandida”, deve-se avisar a outra pessoa, para que essa jamais crie expectativas futuras. Nunca é válido brincar com os sentimentos alheios;

12) Beijos e sexo sem compromisso existem. Tudo bem que acontece de nos apaixonarmos justo por aquela pessoa que jamais imaginamos, mas existem seres capazes de separar beijos e sexo de sentimentos;

13) Imploramos por um mundo sem frescuras. Simples, faça o que tiver vontade e sem se arrepender depois, ou seja, apenas se arrependa do que não fez e encare todas suas ações como experiências;

14) O inesperado é sempre melhor. Nem precisa de muitas explicações, como em qualquer relacionamento, a rotina cansa;

15) Amor e paixão são proibidos. Uma das regras fundamentais na “relação bandida” é jamais envolver sentimento nela. Caso ocorra, lhe restam apenas duas opções, você para de sair com a pessoa e procura um novo “alvo” ou, simplesmente, encara a realidade e luta para avançar para um relacionamento de verdade.

(Mariana Tannous Dias Batista)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

AMOR

EU AMO, TU AMAS, ELE AMA!

O homem, ser de diversas mutações, uma constante metamorfose ambulante, o criador das mais variadas tecnologias que regem as ações sociais na atualidade. São tantas invenções introduzidas no cotidiano diariamente, tantas formas de controle e de padronização da população, porém, em meio a um sistema capitalista, uma arma ainda exerce grande poder, aquela responsável pelas mais extraordinárias reações da massa, o sentimento.

A bomba atômica foi elaborada, a indústria bélica aprimorou-se e os vírus foram espalhados mundialmente com a intenção de devastação ou de “proteção” a uma determinada causa, porém nada disso tem o menor efeito quando o problema envolve uma pessoa que gostamos. A velha sabedoria popular avisa que os indivíduos morrem e matam por amor, uma fatalidade.

Amor, o sentimento mais sociável de todos, pois não sabe surgir e nem se cultiva sozinho, sempre está acompanhado por alguma outra coisa, seja o ódio, a raiva, o “desejo”, o carinho, a amizade, o ciúme ou até mesmo o tédio. Uma palavra de apenas quatro letras, mas com o efeito inexplicável, em que se descobre a existência de um coração que bate além da função designada a esse na pessoa mais “fria” de todas, quando essa se depara com o tal ser de outro mundo.

Mas afinal, o que se entende por amor? Pergunta de difícil resposta, em que até mesmo o dicionário apresenta diversos significados, dentre eles o de afeição, o vínculo afetivo, dedicação carinhosa e o apego. Sim, amor é isso, mas não somente tais características, o qual implica o querer bem, a preocupação diária, uma felicidade sem sentido em apenas estar junto, uma saudade gigantesca na ausência, um respeito fundamental, uma lealdade essencial, é poder compartilhar segredos, fazer confissões e se sentir bem com isso, é conversar durante horas e ainda ter assunto para mais várias outras, é defender sempre e “comprar uma briga” por aquele que se ama e é ser feliz com as coisas simples, ou seja, não fazer absolutamente nada de mais e se sentir realizado por isso.

Eu amo, tu amas, ele ama! Mas amamos a quem? Existem diversas formas de amor, aquele entre homem e mulher, amigos, família, animais, trabalho e, sim, objetos. Mas não se engane, cada pessoa ama de uma maneira, com intensidades que são tão opostas ao ponto de provocar tamanha empolgação e tédio simultaneamente. Existem aqueles que amam incondicionalmente e querem que o mundo saiba disso, como aqueles que amam na mesma proporção e não demonstram e, ainda, há seres que não admitem isso, amam, sofrem e superam sem que ninguém perceba o que aconteceu. Extrapolando as barreiras da física encontram-se dois grupos, os que procuram e acreditam na alma gêmea, em que cada pessoa tem sua metade específica, aquela que a completa em todos os sentidos e os que se dizem “frigideiras”, ou seja, a sua “panela não tem tampa”.

O famoso “frigideira” é aquela pessoa que não precisa de uma relação amorosa para ser feliz, em que priorizam mais as relações de amizades. Geralmente, são adeptos as “relações bandidas”, termo popular utilizado para designar uma relação sem compromisso, pois se sentem sufocados em relacionamentos sérios. Apaixonados incondicionalmente pela liberdade, não abrem mão desse recurso por qualquer pessoa, em que “gastam o seu amor” com amigos, trabalho, família ou “affair”, ou seja, simplesmente com aquilo e aqueles que lhes proporcionem algum tipo de prazer, os quais não estão à procura de um grande amor, caso aconteça ótimo, se não, o mundo não acaba por isso.

Tantos filmes, músicas e livros foram elaborados com o amor como tema central, diversos estudos e matérias científicas foram escritas para tentar entender o que é esse sentimento e quais os efeitos dele nas pessoas e, como resultado disso tudo, as pessoas ainda têm vários questionamentos sobre o assunto. O amor assusta, gera felicidade e decepções, além de momentos únicos, mas qual seria a graça da vida se tudo fosse previsível? Sim, o amor pode ser classificado como surreal e, sinceramente, dele, como da vida em geral, quero só o inesperado.


(Mariana Tannous Dias Batista)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Escorpião

Texto bastante interessante escrito por Christian Pior...


"Escorpião...

Escorpião é o signo do sexo, mais para a sensualidade, é o signo do mistério, das emoções fortes e da vingança, resumindo:


Uma novela mexicana com cenas de sexo!


Escorpião encara a gente e ficamos sem graça, porque tem um olhar profundo, intenso, mas se a pessoa for zarolha, vira motivo de piada.


O problema é que o escorpião é muito intenso, então tudo tem um sentido muito profundo:



'Quando tomo água, estou tentando aplacar a secura da minha solidão'.


'Quando estou dormindo e ronco, é porque é a única maneira de você me ouvir, porque você não me ouve.'



'Quando faço cocô é uma maneira de negar sua comida, que é muito boa, mas eliminando-a pelas fezes, mostro e nego, o prazer que ela, sua comida, me causa.'


Entenderam?


E escorpião também não esquece nada.


No meio de uma transa magnífica, quando você está prestes a ter um orgasmo triplo, ela pára e se levanta e você, sem entender, pergunta:



-O que houve?


-Lembra-se que há dois anos atrás, você bateu o telefone na minha cara? Pois bem, agora você me pagou.


E sai para tomar um gole de Fanta.



O escorpião também é obcecado pelo poder.


Quando ele chega em qualquer lugar, ele passa os olhos e como tem uma boa intuição ele sabe quem tem mais poder neste lugar e se aproxima da pessoa certa e pronto.


Faz o seu papel charmoso e em seguida, fecha bons negócios, bons contatos.


Mas o escorpião trabalha duro, é persistente e como tem grande controle emocional, vai longe.



E por falar em controle emocional, ela pode estar louca de amor, ardendo por dentro, mas ela olha para você e diz:


Você não lavou a louça, seu porco!


E como transa...


Este signo descobre facilmente seu lado B, tipo aquilo que você tem vergonha, mas morre de medo de falar, ele descobre e faz, é gostoso, mas dá medo.


Sei de uma moça casada, que largou marido, carrão, e um bom emprego e foi para a Guiana Francesa atrás de um escorpiano louco que ela fez um sexo rápido em um banheiro de um lava-jato.


Escorpião faz sexo em qualquer lugar e quando quer sexo, vaga pelas noites.


E quando se apaixona, coragem!


Te vigia, te perturba, te persegue, te cerca.


Mas é bom, porque colega, o sexo...


Porém:


Não minta para ele, ele descobre!


Não tente enganá-lo, porque ele percebe.


Não apronte, porque ele se vinga.




Fora isto, é um amor de pessoa! Rsrsrsrsrsrsrsrsrs".


Mariana Tannous Dias Batista, nascida no dia 01/11/1989 uahauh...