domingo, 6 de dezembro de 2009

ROCK PROGRESSIVO

Influenciado pelo jazz fusion e a música clássica, o rock progressivo é um gênero musical inglês que surgiu no final da década de 60 e início dos anos 70. Um estilo bastante diferenciado e único, o estilo musical repercutiu bastante na época, lançando vários artistas e trilhas sonoras no ramo da música.

O rock progressivo destaca-se pelo uso de harmonias complexas e múltiplas, composições longas, os álbuns conceptuais (nos quais um tema escolhido é mantido em todo o álbum), a temática relacionada à loucura, guerra, amor, história, religião e ficção científica, o uso de instrumentos eletrônicos como o teclado e de sintetizadores e o enfoque de elementos clássicos no contexto geral do estilo.

O estilo musical pode ser entendido como uma combinação do rock and roll tradicional com os instrumentos da música clássica, além de manter a improvisação do blues. Vários artistas que foram rotulados como pertencentes ao estilo de rock psicodélico apresentaram composições voltadas para as características do rock progressivo, como ocorreu na música “Beck's Bolero”, de Jimmy Page, Jeff Beck,Keith Moon,John Paul Jones e Nicky Hopkins, por exemplo.

Os percursores do ritmo foram os grupos The Nice (o qual unia a música erudita, ao jezz e ao rock) e Soft Machine (também pioneira no rock psicodélico). A transição de estilo do grupo Pink Floyd ocorreu com a saída do compositor Syd Barrett da banda. Mas nem tudo sempre foi tão simples. Um novo estilo musical requer grande responsabilidade para superar todas as críticas e continuar em vigor, o que não ocorreu com o rock progressivo que passou a ser considerado pretencioso e exagerado perante ao estilo punk rock que se firmava na Inglaterra na década de 70. Mesmo com todas as críticas alegando que o rock progressivo era um estilo ultrapassado, o grupo Pink Floyd lançou o álbum “The Wall” em 1979, que é recorde em vendas até hoje.

“We don’t nedd no education/ Ww don’t need no thought control/ No dark sarcasm in the classroom/ Teachers leave them kids alone/ Hey! Teachers! Leave them kids alone! / All in all it’s just another brick in the wall/ All in all you’re just another brick in the wall” (“Nós não precisamos de nenhuma educação/ Nós não precisamos de nenhum controle de mental/ Nenhum humor negro na sala de aula/ Professores, deixem essas crianças em paz/ Ei! Professores! Deixem essas crianças em paz/ Em suma, é apenas um outro tijolo no muro/ Em suma, você é apenas um outro tijolo no muro”), trecho da música “Another Brick In The Wall”, Pink Floyd.

(Mariana Tannous Dias Batista)

Nenhum comentário: