segunda-feira, 5 de outubro de 2009

CONSUMISMO.

A ARTE DE CONSUMIR: A PANDEMIA DA ATUALIDADE

A arte de consumir, isto é, adquirir ou utilizar um determinado produto ou serviço rege as ações das pessoas no contexto social. Ou seja, tal conduta ocorre porque o sistema que prevalece mundialmente é o capitalista, o qual separa os países em desenvolvidos ou em desenvolvimento, em governantes e subordinados ou em fornecedores e consumidores, cujo principal objetivo é o acúmulo de capital e a constante obtenção de lucro.

Lucro, capital e dinheiro. Palavras que promovem o progresso de diversas nações e ao mesmo tempo a degradação de outras, ou seja, o consumo exagerado dos cidadãos tem resultado em elevados níveis de degradação do meio ambiente. O incentivo ao consumo gerado pela mídia é rotineiro, a exploração dos recursos naturais para a produção dos bens é exorbitante, o consumo desenfreado é crescente e a poluição causada por indústrias e produtos resultantes dessa são fatos comuns ao cotidiano das pessoas, o que resulta na constante depredação dos bens naturais. É justamente nesse aspecto que me indago, até quando o Planeta Terra terá recursos para suprir o ego humano? E quando esses recursos se esgotarem, o que será das relações sociais que conhecemos e vivenciamos?

Na relação entre fornecedor e consumidor, uma parte visa vender ou fornecer os melhores produtos e serviços enquanto a outra procura qualidade no que adquire, sendo que a proteção à saúde é um aspecto fundamental nesse sistema. Entretanto, diversas substâncias usadas na produção são classificadas como tóxicas e, mesmo assim, o consumo de tais produtos ainda ocorre, em que os trabalhadores, geralmente pessoas com renda monetária baixa e mulheres, são expostos a tais substâncias diariamente, sendo a profissão prejudicial à saúde. Assim, milhares de pessoas trabalham em situações precárias e insalubres, mas só sobrevivem devido a tal ação. Tal situação chega a ser contraditória e revoltante, pois as pessoas consomem um produto prejudicial por meio da integridade física de outras pessoas, isso para satisfazer o desejo de consumo.

Em um sistema capitalista, o objetivo final da produção é a obtenção de lucro. Portanto, no processo de distribuição, os fornecedores visam vender os produtos o mais rápido possível, mantendo os preços baixos para que os consumidores sempre estejam presentes nos estabelecimentos e com o menor número de gastos. Assim, os preços dos produtos resultam em um problema, já que os consumidores não pagam pelo preço real da mercadoria, pois se fosse cobrado apenas o valor de todos os custos o fornecedor não teria lucro. Entretanto, se o valor cobrado suprisse todas as despesas, ou seja, se os salários pagos aos funcionários promovessem uma vida digna e que esses gozassem de todos seus direitos, os transportes das mercadorias fossem feito de maneira correta e todos os impostos pagos, os preços seriam abusivos e poucas pessoas teriam condições de consumir os produtos, resultando em uma crise no sistema capitalista.

Diariamente as pessoas são instigadas ao consumo, seja por meio da mídia ou das novas tecnologias que, constantemente, revolucionam o mercado dos produtos. Assim, uma mercadoria nova em alguns meses é substituída por uma melhor e mais moderna, o que aguça o desejo de compras dos cidadãos e movimenta a economia de um país. Porém, todas essas mercadorias que são descartadas resultam no acúmulo de lixo nas cidades, provocando mais poluição nos centros urbanos, degradação ambiental e doenças.

Uma solução para o problema do consumismo exagerado seria a conscientização da população sobre os efeitos desse para o planeta Terra e para a vida em sociedade, pois dessa maneira as pessoas teriam noção das suas ações e poderiam reparar os danos causados em prol da constante obtenção de lucro e pelos desejos ocasionados por um sistema voltado para o consumo.
(Mariana Tannous Dias Batista)

Um comentário:

Anônimo disse...

Todos nós precisamos dos bens materiais para a nossa sobrevivência. Mas quando há a aquisição de bens supérfluos, que não são necessários à vida, acontece o consumismo. A pessoa não precisa de certo produto, mas é induzida a comprar, através dos bombardeios da propaganda. Lamentamos profundamente o fato de a natureza sofrer com tudo isso. Parabéns pelo texto.