segunda-feira, 8 de junho de 2009

CRÍTICA AO CAPITALISMO

PESSOAS QUE PENSAM, ERRAM E TÊM SENTIMENTOS.

Como estudante de Direito e Jornalismo é comum me envolver em conversas e debates relacionados às injustiças que prevalecem no mundo. Muitos alegam que ainda sou jovem... Sim, tenho apenas 19 anos, mas vários dos envolvidos também são da mesma faixa etária, porém o que reparo é que, quase todos, baseiam seus argumentos em críticas ao capitalismo, em que esses são formados pelas informações obtidas por meio da mídia. Certa vez, estávamos discutindo sobre o documentário “The Corporation” e abordei a seguinte questão: “Realmente, o modelo implantado tem várias falhas, porém é o único sistema que nós conhecemos, porque não vivenciamos o socialismo ou o comunismo. Com isso, pergunto, se a nossa geração pode ser classificada como um produto capitalista?”.

Atualmente, cursando o terceiro período de ambos os cursos, percebo que a minha pergunta não foi tão absurda e que a resposta está, de forma implícita, na mesma. O modelo capitalista pode ser comparado a uma epidemia, porque se alastrou por todo o mundo e “infectou” todas as pessoas. Ou seja, o sistema instituído rege a vida da população humana, cujas ações são baseadas na conduta exigida por esse, que muitas vezes, é difundida pela globalização.

Como futura jornalista, me questiono sobre a veracidade da profissão que escolhi, pois sinto que, hoje, não existe (lógico que há suas exceções) mais matérias jornalísticas e sim entretenimento. Isso é a profissão do jornalista exige que esse tenha como principal objetivo transmitir a veracidade de um assunto para a população e de conscientizá-la, sendo imparcial nos fatos apresentados. Porém não é o que ocorre, pois a partir do momento que vivemos em um mundo capitalista, o maior interesse é voltado, exclusivamente, para o lucro e o acúmulo de capital, o que faz com que várias notícias transmitidas tenham, na verdade, um objetivo implícito. Exemplo disso é se uma grande empresa financia um jornal e ocorre algum fato envolvendo a mesma, o jornal que recebe capital dessa não fornece a matéria com todos os fatos corretos. Ou seja, quando não omite algum dado, faz a matéria de maneira mais amena, como forma de “melhorar” o ocorrido perante a população e, dependendo do poder de capital dessa empresa, a matéria nem é publicada.

Se o capitalismo influencia até na veracidade de nossas profissões, que juramos executá-las com ética quando nos formamos no Ensino Superior, qual será o próximo estrago que poderá causar na nossa conduta? Iremos ser pessoas mais egoístas, em busca de constante desenvolvimento, pensaremos somente na aquisição de capital, mataremos e promoveremos guerras em pró de poder? Infelizmente, isso ele já é capaz de fazer. Realmente, ficaria surpresa no dia que o Capitalismo divulgasse valores relacionados à solidariedade, à família e respeito ao próximo, assim deixaríamos de ser tão previsíveis e voltaríamos a ser humanos... Pessoas que pensam, erram e têm sentimentos, não projetos em busca de constante capital sem compaixão pelo próximo.

(Mariana Tannous Dias Batista)

4 comentários:

Artur Queiroz disse...

uhuuuuullll!!!
muito bom!!!
...e até que enfim montou o blog heim!?
continue postando!!!!
os textos, como disse tantas vezes, são ótimos!!!! precisavam sair do anonimato! hshshs
bjo!!!
c Deus!!!
;)

Dani Pacífico disse...

Amiiigaa!!! PARABENS, FICOU OTIMO O ARTIGO. Estou muito orgulhosa. E pra quem dizia que ia ser o lado atoa da relação, estou vendo que você que vai me sustentar! hihih

beijaoo! PARABENS DE NOVO!

Fernando Ferreira disse...

Oi Mariana. Acredito que chegará um dia em que as pessoas terão de fazer uso da cultura do mínimo. Com tanta exploração dos recursos e das pessoas, a vida em sociedade será complicada. Os exploradores de hoje serão os sobreviventes do amanhã, pois acumularam sua "sobrevivência", enquanto os explorados serão apenas mais um fadados a um destino cruel, o que é triste e repugnante. Parabéns pela crítica e até a próxima

Tarciso Júnior disse...

Diante da exploração e exclusão do capitalismo, é bastante oportuno elencar os efeitos funestos produzidos por ele. É de grande importância este texto, pois é uma forma de reflexão e conscientização dos males causados por este sistema, que como voçê afirma, influência até na escolha de uma profissão. PARABÉNS PELO ARTIGO!